quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Igualdade de Gênero na sociedade brasileira

Por um longo tempo as mulheres foram vistas como um objeto que servia para apoiar, reproduzir, obedecer às regras que lhes eram dadas sem que se oporem, simplesmente concordando com o que julgava  ser seu dever, pois desconheciam os seus direitos.

 Mas na década de 60, quando a sociedade  buscou a democracia, lutando contra a tirania dos militares da época, muitas regras antigas foram quebradas. Surgiu, portanto, novos grupos sociais que eram a favor da liberdade de expressão e de que todos possuíssem os mesmos direitos, pois acreditavam que cada pessoa constrói os seus  valores e devem tomar suas próprias decisões,  influenciando e apoiando as pessoas a lutarem pelos seus direitos.

 Nesse momento as mulheres ganharam força e o que era apenas sentimento e procura pelos seus direitos tornou-se determinação pessoal e coletiva em busca da igualdade de gênero dando inicio ao que é até hoje uma grande luta.

 Cada  direito conquistada é uma vitória para as mulheres. Assim estão ganhando seu espaço. Entretanto, isso não  significa ter os mesmos direitos efetivados na sociedade, haja vista que mulheres, mesmo ocupando o mesmo cargo de um homem numa empresa, recebem um salário menor.   
  
O machismo não acabou, nem o preconceito contra o sexo feminino. Até hoje as mulheres são consideradas "o sexo frágil”, dando a falsa ilusão   de que os homens são mais merecedores, mais fortes e mais capazes de coisas que as mulheres não são.

As mulheres não são o sexo frágil, mas sim o sexo sensível e delicado, capaz de conquistar todos os seus objetivos. O que as tornam fortes e capazes de fazer qualquer coisa que um homem faz
                                          Taís Almeida (2º C)


Igualdade de Gênero
Para falarmos da igualdade de gênero é preciso retroceder no tempo para compreendermos como se dava esse processo: As mulheres eram vistas como incapazes e inferiores aos homens, não tinham direito ao voto e várias outras privações.
 Contudo, ao longo da história as mulheres vêm conquistando seu espaço na sociedade, na busca constante e árdua da igualdade de gênero. Não é uma tarefa fácil, no entanto já nota-se grandes avanços.
 Na constituição brasileira há uma lei que diz: “Somos todos iguais perante a lei, sem distinção de cor, raça, gênero, religião.” Porém esta lei não vem sendo cumprida como deveria.
 Segundo pesquisa feita pelo IBOP, “Por cada hora de trabalho as mulheres continuam a ganhar em média menos 17,8% do que os homens”, embora exerçam as mesmas tarefas. Tais dados revelam que a sociedade ainda continua sendo machista, desfavorecendo e desvalorizando o trabalho da mulher.
 Desse modo, para que a igualdade de gênero seja uma realidade, é preciso lutar cada vez mais para conquistarmos os direitos que estão garantidos na Constituição brasileira. As diferenças biológicas de cada gênero não podem e nem devem ser usadas como fator comparativo de superioridade e nem de inferioridade, mas como fator de igualdade.
                                                
Luciane (3º B)


5 comentários:

  1. Realmente, as mulheres precisam ser mais valorizadas.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns querida pelo texto.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. o que tremós em 2012 renata ex 3 b

    ResponderExcluir